NÃO AQUI, TAMPOUCO LÁ, MAS AGORA.

07:21Apenas Evangelho

Deus é espírito, e é necessário que os que o adoram o adorem em Espírito e em verdade.

João 4:24











Por Sandro VS


Este versículo é a resposta de Jesus a uma mulher samaritana, que depois de confrontada por Cristo a respeito de sua vida, passa a indagá-lo sobre onde se deve ir para sacrificar e prestar culto.


A rixa entre samaritanos e judeus já se arrastava por muito tempo, mas fica evidente neste texto que nunca perdera sua força. Os samaritanos, por questões históricas, eram considerados pelos judeus como impuros, isto porque em 722 a.C., quando a Síria invadiu o Reino do norte, muitos israelitas se casaram com estrangeiras e por esta razão eram discriminados. Indignados com esta discriminação, os samaritanos voltaram-se com amargura contra os judeus de Jerusalém e por meio de Manassés, um judeu que se casou com a filha do samaritano Sambalate, construíram um Templo no monte Gerizim, centro do território samaritano. 

Portanto, depois de confrontada por Jesus acerca do seu pecado, esta samaritana pretende, ainda que mais por vergonha do que por arrependimento, fazer a oferta correspondente ao seu erro. Mas ela ainda tem uma objeção, baseada na histórica desavença racial: “o lugar certo para se adorar a Deus é o monte Gerizim ou o monte Sião?”

A resposta de Jesus é objetiva. Ele afirma que o Pai não procura mais adoração apenas, mas sim, adoradores, significando dizer que lugares não eram importantes e sim que pessoas eram importantes, ou seja, se Deus é Espírito logo não pode estar preso a lugares, mas estará sempre presente onde um verdadeiro adorador estiver. 

Assim, Jesus completa o ensino dizendo que não há outro modo de adoração a Deus senão fazê-la em todo o tempo e fundamentá-la na verdade. 

Por isso a adoração deve seguir os fundamentos que o Senhor da Igreja estabeleceu para a Sua própria adoração, significando dizer que esta adoração deve ser baseada na verdade do Evangelho, na gratidão pelo Evangelho e na salvação no Evangelho. 

Assim sendo, a adoração não está confinada a um lugar específico, não é propriedade de uma etnia exclusiva e não é um momento com hora e data definida, mas é a identidade daqueles quem creem no Cristo do Evangelho pelo Espírito. 

Portanto a Igreja é a assembleia dos que adoram a Ele no Espírito, é a assembleia dos que vivem no, dos que vivem do e dos que vivem pelo Evangelho. 

A adoração não é uma escolha que a Igreja tem que fazer, mas um estilo de vida determinado por Deus e, portanto, deve ser adotado pela Igreja. 


Soli Deo Glória!

Talvez possa Querer Ler Também

0 comentários

Postagens Populares

Formulário de contato