JESUS É O MISTÉRIO DO REINO DOS CÉUS

16:50Apenas Evangelho


por Flávio Santos

Mateus 13. 1-23

Mateus 13 é o capítulo onde encontramos as parábolas sobre os mistérios do Reino os céus. Em Marcos 4, também encontramos as parábolas sobre o Reino de Deus. Reino dos Céus e Reino de Deus não são dois Reinos ou duas realidades, ou duas dimensões diferentes. São a mesma coisa! 

As parábolas eram histórias cotidianas ou ilustrativas que Jesus contava para apresentar verdades e realidades espirituais. Em alguns momentos elucidativas, em outros, era necessário explicações para que fossem entendidas.

É interessante entender a expressão “mistérios do Reino dos Céus” que aparece entre o momento em que Jesus conta a parábola e o momento da explicação. As perguntas são: O que é mistério? E o que é Reino dos céus?

“Mistérios", no contexto bíblico, não têm o mesmo sentido usado normalmente por nós. De modo geral, mistério é algo oculto que não podemos entender. Dentro da revelação bíblica, mistério é algo sim, que esteve escondido, mas foi revelado. Nesse sentido quando a palavra mistério é encontrada nas Escrituras traz com ela a revelação.

George Eldon Ladd define com propriedade “mistério”: “No sentido bíblico, mistério não é algo misterioso, nem profundo, obscuro, inescrutável e difícil. A palavra no vernáculo moderno, pode ter essas conotações, mas não podemos interpretar a bíblia pela língua moderna. [...] Eis a noção de mistério: Algo que permaneceu oculto ao longo dos tempos e, agora, é revelado”.

“Reino dos Céus" é o governo de Deus sobre a igreja. Deus é soberano sobre todas as coisas, mas entende-se, no sentido restrito do termo, que Jesus governa como Rei sobre os súditos do Reino e sobre os membros da Igreja de Jesus. Digo isso levando em consideração que Mateus é o Evangelho do Rei e da Igreja.

John Macarthur diz: “Presentemente, Cristo não exercer a sua completa vontade divina como Rei sobre toda a terra, ainda que, em última análise, seja soberano, Ele governa como rei somente sobre aqueles que creem. O seu reino engloba todos os redimidos, mas não de uma forma visível para o mundo incrédulo”.

Os judeus esperavam um Rei político, que tirasse os romanos do poder, mas Deus enviou um Rei espiritual, para reinar espiritualmente até à plenitude do governo total. Esse é o mistério do Reino dos Céus, que esteve oculto, e agora foi revelado: Jesus como Rei espiritual sobre o coração redimido

A revelação dos mistérios é para os discípulos do Rei. Notamos que essa parábola foi contada para todos, mas a revelação foi para os discípulos. Para eles foi dado em abundância. Para a multidão foi tirado. Os mistérios do Reino foram dados aos discípulos. Os discípulos são os que o Temem. São os íntimos. Salmo 25.14

Jesus diz que os discípulos são felizes porque vêem e ouvem. Os discípulos são privilegiados. Porque os profetas tiveram a revelação, mas não a viram. Os discípulos contemplaram a revelação – Jesus. E em Jesus os selos dos outros mistérios são abertos, como a explicação da parábola do Semeador.

A revelação dos mistérios do Reino foi feita no Mistério: Jesus. Jesus é a exegese das Escrituras e dos mistérios de Deus. Toda a Escritura - a Lei, os Salmos e os Profetas - aponta para a pessoa e obra de Jesus. Ele mesmo disse que as Escrituras testificavam sobre Ele.

Ler a Bíblia sem Jesus, torna qualquer pessoa religiosa. Os fariseus tinham as Escrituras e a tradição oral, mas não tinham Jesus, tornaram-se religiosos de doutrinas e tradições humanas. Tentar compreender os mistérios do Reino sem Jesus, leva ao misticismo.

Em Jesus a semente da revelação é lançada aos corações. O significado para mistério no texto grego é fala confidencial, segredo. Deus não quer as pessoas tornando-se religiosas ou místicas, por isso, em Jesus, falou ao pé do ouvido dos seus discípulos, confidenciando os mistérios do Reino.

Jesus, usando a figura da agricultura, contou a parábola e a revelou aos seus discípulos. Jesus é o semeador que semeia a semente. E todos os discípulos de Jesus tornam-se, também, semeadores. A semente é a palavra do Reino. E os quatro tipos de solos são os corações que recebem a Palavra do Reino.

A que caiu à beira do caminho é o coração que recebeu a Palavra e não entendeu. O maligno veio e arrebatou a palavra do Reino. Muitas pessoas até ouvem a Palavra, mas não se aprofundam para entende-la. O Maligno aproveitando a falta de entendimento do Reino, “come” a Palavra do coração das pessoas.

A que caiu em pedregais é o coração que recebe a Palavra com alegria. Mas é tão rápido que não cria raiz. Não dura muito. Jesus diz que o fato de chegar a angústia e a perseguição, por causa da Palavra, logo se ofende. 

A que caiu entre os espinhos é o coração que recebe a Palavra, mas os cuidados deste mundo e as seduções das riquezas sufocam a Palavra e fica infrutífera. Esse tipo de pessoa não deixa o Reino saudável porque não sai, pelo contrário, permanece e não dá prosseguimento ao fluxo do Reino.

A que caiu em boa terra é o coração que ouve, compreende e dá fruto. Esse tipo de pessoa é a que se tornou discípula de Jesus, que compreendeu Jesus e a revelação dos mistérios do Reino e a que frutifica semeando a palavra do Reino em outros solos.

Que sejamos boa terra para receber Jesus e o seu Reino!

Apenas no Evangelho, que encontramos o mistério que esteve oculto e foi revelado, Jesus, o nosso Rei.

Talvez possa Querer Ler Também

0 comentários

Postagens Populares

Formulário de contato