FOI PARA ISTO QUE EU VIM.

10:09Apenas Evangelho

Jesus, porém, lhes disse: Vamos a outros lugares, às povoações vizinhas, a fim de que eu pregue também ali, pois para isso é que eu vim.

Marcos 1:38














Por Sandro VS

Que Jesus veio para curar os enfermos isso é unânime. 

João chega a dizer que se fossem escritos todos os feitos e milagres de Jesus faltariam livros para tantos registros, mas é claro que o que João está querendo dizer é que a ideia nunca foi registrar tudo, mas mostrar o que estes milagres significam, por isso ele diz um pouco antes no seu Evangelho "estes, porém, foram registrados para que possais crer que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais vida em seu nome".

Aqui temos o registro do dia em aconteceu o oposto. Jesus chega a Cafarnaum e vai à sinagoga em um sábado para ensinar. Seus ensinos logo causam admiração nos seus ouvintes devido a autoridade com que Ele aplicava as Escrituras, a palavra para esta autoridade no texto grego significa um conhecimento excepcional unido a um poder incomum, ou seja, tudo o que Jesus falava a respeito das Escrituras vinha tão carregado de significado que exercia dentro dos seus ouvintes um desejo por transformação.

Mas o ápice desta ocasião se deu quando Jesus expulsou do recinto um demônio! Todos se extasiaram não só quando viram como Ele, sem meias palavras, calou e expulsou o espírito imundo, mas também em como este espírito sujeitou-se a Ele, por isso não demora muito para que Sua fama se espalhe pela região.

Ao sair da euforia da sinagoga Jesus vai para o sossego da casa de dois dos Seus discípulos. Ao chegar lá encontra uma mulher doente e com a mesma simplicidade com que expulsou o demônio na sinagoga Ele agora elimina uma febre, mas o resultado disso foi uma avalanche de enfermos e curiosos na porta da casa de Pedro e, como era de se esperar, Jesus cura e liberta muitos destes.

O dia de curas e libertações termina e Jesus levanta muito cedo no outro dia, não procura mais doentes ou mais possessos, mas, vai orar sozinho em um lugar deserto. Não demora muito para que Pedro e os outros o encontrem dizendo "tem mais!", ou seja, todos te procuram com doentes e possuídos, mas a resposta de Jesus é tão impressionante quanto seu poder para curar: 

"Vamos a outros lugares, às povoações vizinhas, a fim de que eu pregue também ali, pois para isso é que eu vim".

Sim! Jesus deixa um amontoado de doentes e endemoninhados na porta da casa de Pedro sem suas "vitórias"! A razão disso é simples, pelo menos para Jesus, "não foi para isto que eu vim, mas foi para outra coisa", ou seja, veio para pregar, ou como escreve Lucas quando relata este mesmo episódio:


"É necessário que eu anuncie o Evangelho do reino de Deus também às outras cidades, pois para isso é que fui enviado".

Jesus não alimentava expectativas contrárias à sua missão, mesmo que a realização dessas expectativas fossem curas e libertações. Nunca desviou-se do propósito, anunciar o Evangelho, a boa nova que anuncia a reconciliação entre Deus e o homem e que, ironicamente, anuncia a cura e a libertação da doença que toda a humanidade possui, mas não quer a cura, O PECADO.

É exatamente aí que reside a autoridade de Jesus, perdoar pecados!

Jesus nunca foi curandeiro de quem quer que seja, mas Salvador de todos os que, depois de ouvir o Seu Evangelho, não mais O procuram, mas O seguem.

Afinal, para isto que Ele foi enviado.

Soli Deo Glória!

Talvez possa Querer Ler Também

0 comentários

Postagens Populares

Formulário de contato