CRISTO JESUS, A PERSONIFICAÇÃO DO CONHECIMENTO.

11:03Apenas Evangelho

Tende cuidado para que ninguém vos tome por presa, por meio de filosofias e sutilezas vazias, segundo a tradição dos homens, conforme os rudimentos deste mundo, e não de acordo com Cristo, pois nele habita corporalmente toda a plenitude da divindade, e nele, a cabeça de todo o principado e poder, tendes a vossa plenitude.
Colossenses 2: 8-10


por Sandro VS

Não existiu nação tão sedenta por conhecimento quanto a nação grega, pois se deixavam seduzir por toda e qualquer ideia, apenas para poder analisá-la e depois uni-la as ideias já absorvidas pelo seu ávido intelecto. 

Paulo vê nos colossenses as duas características cristãs essenciais, a fé e o amor, mas sabe que, como qualquer autêntico grego, tinham dentro de si esta ambição pelo conhecimento e, portanto, poderiam relativizar o Evangelho na mesma velocidade em que o aceitaram. A maior preocupação do apóstolo é que não faltariam "mestres" para oferecer tal desserviço a eles. Por isto, usa um termo diferente ao procurar identificá-los, a palavra usada para "enredar" quer dizer "tornar presa ou refém", ou seja, não é só escravizar, mas também torturar ate exercer o domínio completo sobre este, agora, prisioneiro. 

Toda esta tortura, segundo Paulo, seguia um processo meticuloso que, se apresentando como um conceito irrefutável, convencia a vítima. A maior estratégia destes mestres era a de não refutar o Evangelho totalmente, mas relativizá-lo acrescentando elementos que se faziam "necessários" para sua absorção. Por isto Paulo diz que todo este acréscimo não vinha do Cristo, mas de tradições meramente humanas transmitidas ao longo da história. 

Uma das grandes tradições do senso comum é o poder que os astros celestes exercem na vida humana, pois não há dúvidas que a astrologia é tão antiga quanto a humanidade.

A palavra que o apóstolo usa para a expressão "rudimentos do mundo" significa exatamente isto, isto é, qualquer primeira coisa a partir da qual as outras se originem, e na aplicação grega se referia constantemente aos corpos celestes e isto porque supunham residir neles os elementos da humanidade como a vida e destino do homem. 



Paulo é direto ao dizer que todo este conceito nada tem haver com Cristo, pois Cristo não é uma ideia, mas sim uma pessoa que carregava em Si mesmo a plenitude de toda a divindade simplesmente porque era Deus e, assim, antes de tudo. Por isto Paulo diz que Ele esta acima de toda e qualquer criação não importa o quão antiga esta seja. 


Sendo assim, o apelo é para que todo aquele que estiver nele entenda que possui em si, pela fé, toda esta plenitude de conhecimento e que não necessita mais de qualquer acréscimo que seja. O evangelho é absoluto simplesmente porque Cristo encarnou-se e revelou a verdade sobre Deus em pessoa, mostrando que tudo o que era antes dele, Cristo, só tem sentido se assimilado a partir Dele, Cristo. 

Os acréscimos a Cristo e, consequentemente, ao Evangelho hoje podem até levar outros nomes como "mover", "ato profético", "mistério", mas a intenção terrorista é a mesma, ou seja, torturar a vítima até que ela acredite que o Evangelho não pode ser tão simples como se apresenta em Cristo. 

Mas quem crê APENAS no EVANGELHO, sabe que tem toda a plenitude de conhecimento habitando em si, simplesmente porque a plenitude da sabedoria absoluta de Deus, Cristo Jesus, habitou entre nós. 

Soli Deo Glória!

Talvez possa Querer Ler Também

0 comentários

Postagens Populares

Formulário de contato